Ícone acessibilidade

Acessibilidade

19 de dezembro de 2023

Somos a primeira empresa de beleza do mundo a ter metas vinculadas ao veganismo

Pioneira em emissões SLB, a empresa inova mais uma vez ao trazer meta de finanças sustentáveis sobre veganização no desenvolvimento de produtos 

Pioneiro na emissão de títulos sustentáveis na América Latina e no mercado brasileiro, o Grupo Boticário concluiu ontem (18) a captação do seu segundo Sustainability-Linked Bond (SLB) no valor de R$ 2 bilhões, em uma emissão coordenada pelo banco UBS BB e atestada via Second Party Opinion (SPO) pela ERM NINT, maior empresa de consultoria e avaliação ESG da América Latina.

Nesta operação, o Grupo Boticário traz duas metas de desempenho sustentável. A primeira delas visa garantir que 100% dos produtos de marcas proprietárias sejam veganos até dezembro de 2026. A segunda está relacionada à utilização de pelo menos 80% da água de reuso gerada na fábrica de São José dos Pinhais (Paraná) até 2029. Com essa captação, o Grupo Boticário se torna a primeira empresa de beleza do mundo a trazer a temática de produtos veganos para este tipo de operação. Pioneiro nessa agenda, o Grupo Boticário baniu testes em animais em 2000 e se tornou referência no setor ao desenvolver métodos alternativos para a avaliação de segurança e qualidade de produtos como a criação da pele 3D – desenvolvida em 2018 – para replicar células de pele humana em laboratório.

“A agenda sustentável associada ao mercado financeiro deve ser perene e conectada à ambição de longo prazo das companhias e do legado que elas querem deixar para o mundo. Foi dessa forma que inovamos em 2020, quando realizamos a primeira operação SLB no setor de beleza na América Latina e no mercado brasileiro”, afirma Marcelo Azevedo, CFO do Grupo Boticário. “Além de fortalecer a estratégia de longo prazo do Grupo, por meio desta emissão identificamos a oportunidade de trazer novas pautas relevantes para o mercado e, com isso, influenciar todo o setor”, conclui. 
O Grupo Boticário inaugurou, em 2020, o mercado dos chamados Sustainability-linked bonds no Brasil ao emitir a primeira dívida SLB no valor de R$ 1 bilhão com juros ligados à medição de indicadores específicos de sustentabilidade. Na ocasião, a empresa se comprometeu a, até 2025, migrar para fontes renováveis todo o consumo de energia elétrica das fábricas e centros de distribuição, e a reciclar, reutilizar ou coprocessar 100% dos resíduos gerados nos processos produtivos.