Ícone acessibilidade

Acessibilidade

14 de junho de 2023

Artigos

Somos referência na agenda ESG e avança em soluções sustentáveis e impulsionamento da diversidade

Em mais de 40 anos de história, Grupo acumula experiência na governança de um ecossistema complexo, sustentável e inclusivo; mulheres já ocupam 40% dos cargos de liderança e negros estão em 25% das posições, da porta para fora, foram mais de 74 mil realidades transformadas nos últimos dois anos.

O Grupo Boticário, uma das maiores companhias de beleza do mundo e considerada a 6ª empresa mais sustentável do mundo pelo Dow Jones Sustainability Index de 2022, acaba de publicar seu Relatório ESG. Seguindo os padrões GRI (Global Reporting Initiative), o documento reporta o desempenho social, ambiental, de governança e inovação realizadas durante o período.

Juntamente com o Relatório, a companhia divulga dados da pesquisa inédita ‘Dossiê ESG’*, encomendado ao Instituto Locomotiva. O estudo demonstrou que, embora a temática seja destaque nas organizações, para a maioria dos brasileiros participantes o tema ainda é desconhecido. Mais da metade dos entrevistados (66%) nunca ouviram falar sobre ESG. No entanto, quando o conceito ESG é apresentado aos participantes, o cenário muda: mais de 85% consideram o tema importante ou muito importante, sendo a pauta ambiental a considerada mais relevante (76%). Temas sobre impacto social (39%) e diversidade (45%) também têm peso na opinião dos entrevistados.

“Temos em mente que construir o futuro que desejamos é um processo coletivo e colaborativo, e que estamos em uma trilha de aprendizados constantes. Por isso, para além de evoluir internamente, buscamos compreender como o consumidor, os nossos parceiros e toda a nossa cadeia enxergam a agenda ESG. Ficamos contentes em constatar a importância dada ao tema, mas percebemos o grande desafio que temos pela frente, pelo nível de desconhecimento em relação ao conceito. Com isso, o Relatório ESG de 2022 vem para mostrar como evoluímos de dentro para fora dos muros do Grupo no sentido de proporcionar um ambiente de entendimento, co-construção e evolução para todos.”, afirma Luis Meyer, diretor de ESG do Grupo Boticário.

Avanços Ambientais (‘E’ do ESG)

O Relatório mostra que 97% da energia da operação direta vem de fontes renováveis e que, em solução de resíduos da cadeia do Grupo, o número passou de 32% em 2021 para 37% em 2022. Grande parte dos avanços só foram possíveis com redesenho de processos, como a concepção e fabricação de produtos e embalagens mais sustentáveis, inovação na logística de distribuição e realizando uma comunicação assertiva com consumidores até a etapa pós-consumo.

As embalagens representam uma parcela importante do desafio da gestão de resíduos. Por conta disso, o Grupo investe fortemente na inovação desde a concepção até a etapa pós-consumo, priorizando materiais de origem sustentável ou com maior nível de reciclabilidade. A exemplo disso, o frasco do perfume Malbec, da marca O Boticário, foi lançado em 2022 com 35% de vidro reciclado em sua composição. A empresa ainda é responsável pelo maior programa de logística reversa do Brasil, com 4 mil pontos de coleta de embalagens de produtos cosméticos pós-consumo.

A preservação da biodiversidade é um outro pilar fundamental para a companhia, que está na vanguarda do tema há mais de 30 anos, por meio do trabalho da Fundação Grupo Boticário. De acordo com o relatório, já são mais de 2,9 milhões de hectares no Brasil com ações de conservação.

Avanços Sociais (‘S’ do ESG)

Ações de impacto social positivo também foram grandes destaques do ano de 2022. Temas de profundo engajamento do Grupo Boticário, Diversidade e Inclusão tiveram resultados relevantes: a companhia já atingiu 25% de lideranças negras entre seus colaboradores e, para 2025, quer ter ao menos 50% de mulheres na diretoria, grupo que já ocupa 40% dos cargos de liderança da empresa. Tais evoluções contribuem para um portfólio de produtos cada vez mais inclusivo e diverso, tendo 73% dos produtos
desenvolvidos em 2022 com esse propósito
.

Além dos muros, o Grupo Boticário mantém ainda forte atuação fomentando o impacto positivo em seu ecossistema. Neste sentido, o Empreendedoras da Beleza tem papel fundamental, com o objetivo de empoderar mulheres em situação de vulnerabilidade por meio do empreendedorismo, possibilitando novas fontes de renda. Somado a diversas outras iniciativas sociais, o Instituto Grupo Boticário já acumula mais de 74 mil realidades transformadas desde 2020.

Avanços em Governança (‘G’ do ESG)

É na alta governança do Grupo Boticário que a estratégia é monitorada pelo Comitê ESG. Criado em 2021, o Comitê se reporta ao Conselho Consultivo, composto por uma conselheira independente e profissionais da companhia. A partir do comitê, é possível monitorar a estratégia de integração dos aspectos da agenda ESG ao modelo de negócio e liderança, reforçando a característica transversal do tema nas diferentes áreas do GB, a fim de garantir análises de indicadores e resultados sob uma conduta ética, íntegra e envolvendo gestão de riscos.

O Relatório mostra que o Grupo está se preparando para aderir formalmente à SBTi (Science Base Target Initiative) – uma ação colaborativa liderada pelo CDP, Pacto Global das Nações Unidas, World Resources Institute e World Fund for Nature para definir metas climáticas baseadas em dados científicos. Mais de mil empresas participam da iniciativa em todo o mundo.

“Um dos grande desafios que tínhamos era dar continuidade na evolução de governança de ESG no nosso negócio, e de dar um passo além. Definimos metas, objetivos e planos de ação, e buscamos potencializar a plataforma única que temos hoje, em um ecossistema super complexo, desde mais de 2 mil fornecedores a mais de 4 mil lojas, revendedores, distribuidores, colaboradores, por isso, dizemos que ESG está no DNA do Grupo, pois nosso modelo de negócio está genuinamente atrelado à transversalidade do tema”, reforça Meyer.

*Sobre o “Dossiê ESG”: a pesquisa foi realizada em novembro de 2022 e entrevistou mais de 3 mil pessoas entre homens e mulheres, a partir de 16 anos, pertencentes às classes sociais ABCD. As questões ligadas à governança, como “Ter transparência e ética na gestão com prestação de contas e práticas anticorrupção”, tem baixa relevância, sendo considerada por apenas 29% dos participantes. Dos 86% dos brasileiros que consideram ‘importante’ ou ‘muito importante’ o conceito ESG, 90% deles têm ensino superior e 89% possuem 45 anos ou mais, revelando que maior grau de escolaridade contribui para uma percepção mais profunda sobre a relevância do tema.