Sustentabilidade
  • 29 DE SETEMBRO

Acreditamos que, além de entregar melhores soluções ao consumidor, inovar também é estender os ganhos para toda a cadeia de produção. Desta vez, somamos a nossa essência da inquietude diante de tudo o que pode melhorar com a tecnologia da Raízen para que a qualidade da principal matéria-prima dos nossos produtos de perfumaria fosse, também, a mais sustentável possível. Assim chegamos ao ecoálcool – o álcool de segunda geração (e2G).

O Brasil é o maior produtor de cana-de-açúcar do mundo e o segundo maior em produção de etanol. Os resíduos do processo de produção de álcool para perfumaria, até então, eram queimados para a geração de energia. A solução do e2G tem como base o reaproveitamento integral do bagaço e da palha de cana resultante da fabricação do etanol comum (chamado de álcool de primeira geração) como matéria-prima para um novo ciclo produtivo. Os processos são basicamente os mesmos; as diferenças estão no pré-tratamento e na tecnologia de enzimas para a quebra dos açúcares durante a hidrólise na fabricação do e2G.

Um dos principais resultados da tecnologia é que a “pegada de carbono” (um índice que mede o impacto gerado no meio ambiente a partir da quantidade de CO2 emitido) do processo de produção do ecoálcool diminui 30% em relação ao álcool comum. Isso quer dizer que, considerando as variáveis do ciclo de vida do produto, desde a área de plantio até a logística de transporte da matéria-prima, a conta final traz um saldo de redução significativo de carbono.

Acreditamos que dá pra ser um grande Grupo sem esquecer os detalhes que fazem o todo. Por aqui, entendemos que não existe fora (inclusive já falamos sobre isso), por isso, mais do que soluções para produzir e reaproveitar resíduos, atuamos para que os ganhos ambientais da nossa empresa sejam maiores do que os impactos da nossa atuação. Nesse sentido, contamos com o apoio da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, que há 30 anos atua em frentes para manutenção de áreas protegidas e preservação de ecossistemas naturais. Além disso, estamos conectados com a principal agenda global de sustentabilidade, a Agenda ODS, que conta com 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. Nosso CEO, Artur Grynbaum, é o porta-voz do ODS 12 de Produção e Consumo Responsáveis, no Brasil, repercutindo nossa jornada de sustentabilidade na cadeia, de ponta a ponta no negócio.

tá na pele

Na indústria da beleza, o Grupo Boticário é pioneiro no Brasil na utilização do ecoálcool para a fabricação de cosméticos. Mas os ganhos em sustentabilidade vão além da matéria-prima por si só. A começar pelo monitoramento da cadeia de fornecimento, ou seja, a garantia de que os produtores da cana estão adotando boas práticas sociais e ambientais. Outro cálculo importante para a definição sobre o uso da matéria-prima foi o da logística: a produção do E2G acontece em Piracicaba e em Guariba (SP) e, mesmo considerando os impactos ambientais para transportá-lo até as nossas fábricas em São José dos Pinhais (PR) e em Camaçari (BA), essa fonte se mostrou mais sustentável quando comparada ao uso do etanol de primeira geração.

Para fazer uma inovação como essa acontecer, especialmente quando ela considera critérios sustentáveis, são anos de estudos, testes e análise para que tais atributos sejam somados aos de qualidade dos nossos produtos. No caso do ecoálcool, o projeto vinha sendo desenvolvido pela nossa frente de Pesquisa & Desenvolvimento desde 2017. Vale dizer que o álcool pode ter diversas origens, como o café ou o cereal, e por ser a nossa principal matéria-prima (corresponde a cerca de 70% das nossas fragrâncias) é objeto de estudo de inúmeras pesquisas internas.

O lançamento das primeiras fragrâncias produzidas com ecoálcool aconteceu em 2019, nas linhas Nativa SPA, de O Boticário, e Seja como Flor, de quem disse berenice?. Para ajudar o consumidor a reconhecer o produto na hora da compra, O Boticário criou o selo “Com EcoÁlcool”. Os perfumes Queen Vanilla, Royal Plum e Divine Caviar – versões mais intensas das famílias Baunilha Real, Ameixa e Caviar – também trazem o selo do E2G e estão disponíveis em todas as lojas do Brasil, nos sites das marcas ou com a nossa rede de revendedores. A meta, agora, é expandir o uso do ecoálcool em novos produtos e para todo o portfólio.

Acreditamos que investir em iniciativas que consideram cada um de nós e a sociedade em que vivemos, é mais do que sustentabilidade, é sobre ir mais longe. Nessa trajetória, cada nova conquista nos ajuda a redescobrir a beleza de transformar. Nossa essência é capaz de mudar tudo.

TAGS: #ecoalcool #sustentabilidade #lançamentos #inovacao